quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Prémio Citomed atribuído a investigação na área da Esclerose Múltipla

Trabalho realizado por Ângelo Chora e publicado no Journal of Clinical Investigation vence o galardão. Cerimónia de Entrega do Prémio marcada para amanhã, dia 14, às 16h30, no Instituto de Medicina Molecular, em Lisboa. Actual investigador no Instituto Gulbenkian da Ciência (IGC), Ângelo Chora realizou uma investigação que deu o primeiro passo na identificação de uma nova possibilidade terapêutica para doenças de foro neuroimunológico, especificamente no caso da Esclerose Múltipla, uma patologia neuroinflamatória de origem autoimune do Sistema Nervoso Central e que afecta 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo. O trabalho intitulado “Heme oxygenese -1 and carbon monoxide suppress autoimmune neuroinflammation”, publicado na edição de Fevereiro de 2007 do Journal of Clinical Investigation, venceu o Prémio Citomed 2007, iniciativa conjunta da Associação Viver a Ciência (VaC), da Sociedade Portuguesa de Imunologia (SPI) e da empresa Citomed que atribui cinco mil euros ao melhor artigo publicado na área de Imunologia básica ou aplicada. A cerimónia de entrega do galardão está agendada para amanhã, 14 de Novembro, às 16h30, durante o congresso anual da SPI a decorrer em Lisboa, no Instituto de Medicina Molecular.

Através da modulação da expressão do gene protector Heme Oxigenase-1 em animais com esclerose múltipla, a equipa de investigação conseguiu controlar a progressão e severidade do processo inflamatório que ocorre no sistema nervoso central, reduzindo a evolução clínica da doença em cerca de 70 por cento.

A enzima Heme oxygenase-1, crucial no controlo de pontos basilares na progressão do processo inflamatório, tem como função a degradação de heme, um componente de muitas proteínas celulares e da qual resulta, entre outros produtos, a produção do gás monóxido de carbono. Durante o processo neuroinflamatório, o aumento da sua expressão resulta no aumento da produção de monóxido de carbono responsável pelo controlo da inflamação no Sistema Nervoso Central.

O trabalho premiado destaca ainda a possibilidade dos seus resultados se estenderem a outras doenças cujos mecanismos patológicos apresentam um processo inflamatório associado, mesmo que em outros órgãos do organismo.

O trabalho futuro de Ângelo Chora passará por investigar o impacto da expressão desta enzima não só no controlo da inflamação assim como a possibilidade da Heme oxygenase-1 proteger os tecidos que são alvo desta resposta inflamatória e quais os mecanismos associados. O investigador realça a importância do Prémio Citomed, que se constitui com um grande “estímulo” para iniciar novas experiências.

1 comentário:

Carlos disse...

Viva Telmo,que óptima noticia,termos pessoas como esse Doutor em Portugal e espero que seja falado na T.V.,para além de divulgar um feito,ajuda na divulgação da doença e infelizmente a maioria das pessoas só sabe o que se passa através da T.V.,penso que deve haver muita gente que tem E.M. e nem sequer sabe,não achas?
Um abraço e parabéns pelo blog.