domingo, 2 de dezembro de 2007

Diário: Diagnostico

Dia 4 é o dia Nacional do doente com Esclerose Múltipla, lá vamos ver na televisão a falarem da nossa doença é sempre bom as pessoas estarem sensibilizadas para a Esclerose Múltipla por vários motivos, o mais importante é mesmo um diagnostico a tempo e a seguir entender a doença e as pessoas que sofrem com ela(Doentes e Familiares).

Hoje no meu diário venho para falar do meu diagnóstico, no meu caso depois de um Verão infernal fiquei com o lado direito do corpo todo dormente mas sem perda de força, pois continuava a fazer tudo normalmente, jogar futebol, correr, etc.
Dois dias após essas dormencias dirigi-me ao Hospital Litoral Alentejano(Hospital com 5 anos de vida), onde efectuei uma TAC e umas analises ao sangue, enviaram-me para casa a tomar magnesio e que provavelmete deveria ser stress(afinal eu já estava de Férias a cerca de duas semanas) e para voltar passado 7 dias para ver o relatório da TAC. Assim o fiz mas por incrivel que pareça(ou não) o relatório da TAC não estava pronto e disseram para voltar passado 7 dias, como as dormencias ainda estavam presentes deram-me mais um comprimido para tomar diariamente, julgo ser um calmante qualquer fraquinho, a esta hora já estava retolado como hipocondriaco. Na semana que era para voltar ao Hospital felizmente estava em formação em Lisboa, como sou natural de Almada e as dormencias estavam a aumentar desloquei-me às urgências do Hospital Garcia d'Horta onde passado 4 horas de espera fui visto por um médico de clinica geral que apôs me ver chamou uma Neurologista(atitude bastante profissional) onde fui avaliado por ela e aconcelhado a ser internado, aceitei a sugestão e passado 5 dias saí do Hospital com Esclerose Múltipla diagnosticada, porque é que eu tive de dar essa volta toda, não poderiam ter feito o mesmo no primeiro Hospital???

Um grande conselho para todos, não se deixem ficar apenas com uma opinião eu poderia ter pago muito caro...

Aproveito para agradeçer ao Médico de Clinica Geral (não me recordo o nome) que chamou a Neurologista e à Neurologista que me diagnosticou e hoje me acompanha nos tratamentos, Dr Irene Mendes.

Não vos chateio mais e as melhoras.

1 comentário:

GUIDA disse...

Olá Telmo, tu sabes que nunca xateias, k é um prazer ler-te.
Tu dizes para nunca ficarem só por uma opnião e eu digo, nunca desistam se não acreditarem no diagnóstico k lhes foi feito. Pois eu andei 6 anos até acertarem no k tinha. Tu foste 2 vezes ás urgencias chamaram-te ipocondriaco eu acabei na psiquiatria.E se hoje tenho o diagnostico certo, devo-o a uma amiga de infancia, médica de medicina interna, e k por acaso encontrei,num fim de semana.Eu nem me queixei de nada, ela é k reparou nos meus menos, vinte e tal kilos e perguntou o k se passava. Lá resumi a minha história.E 2ª feira lá estava eu no hospital de Evora para ser vista pela Neurologista.
Bem depois pois o resto já voces todos sabem, é igual para todos.
bjs e uma boa semana para ti.